Quem somos

Também disponível em English, Deutsch, Español

Bem-vindos ao Programa Regional de Segurança Energética e Mudança Climática na América Latina da Fundação Konrad Adenauer (KAS, de acordo com sua sigla em alemão). Liberdade, justiça e solidariedade são os princípios base do trabalho da Fundação Konrad Adenauer (KAS). A KAS é uma fundação política, ligada ao partido político União Demócrata-Cristã da Alemanha (CDU). Konrad Adenauer (1876-1967), co-fundador do partido CDU e primeiro chanceler alemão, conseguiu unir as tradições sociais-cristãs, conservadores e liberais. O seu nome é sinônimo da reconstrução democrática da Alemanha, da consolidação das políticas externas em uma sociedade transatlântica, do objetivo dos países europeus e da orientação da economia social de mercado. O seu legado intelectual continua sendo para nós uma missão e um compromisso.

Com a nossa cooperação europeia e internacional, engajamo-nos para que os homens possam viver em liberdade e dignamente. Com os nossos ideais, prestamos uma contribuição para que a Alemanha possa cumprir com a sua responsabilidade crescente no mundo.

Queremos incentivar as pessoas a participarem na construção do futuro neste sentido. Através de mais de 70 escritórios no mundo inteiro e projetos em mais de 120 países contribuímos por iniciativa própria para a promoção da democracia, do estado de direito e da economia social de mercado. Para assegurar a paz e a liberdade, apoiamos continuamente o diálogo sobre política externa e segurança internacional, e o intercâmbio entre as culturas e as religiões.

Para nós o ser humano está no centro das atenções. O indivíduo, com a sua dignidade, direitos e deveres, representa o ponto de partida para a justiça social, democracia liberal e economia sustentável. Enquanto apoiamos as pessoas, que aceitam as suas responsabilidades dentro da comunidade, estamos fortalecendo redes ativas na política, economia e sociedade. A nossa gestão de conhecimentos políticos melhora as chances de projetar uma globalização mais social e justa, ecologicamente sustentável e economicamente eficiente.

Trabalhamos em parceria com instituições do Estado, partidos políticos, organizações da sociedade civil, assim como camadas da sociedade que podem promover o bem-estar comum. Através dos nossos objetivos e dos nossos valores pretendemos, sobretudo dentro do âmbito da cooperação internacional, intensificar no futuro a cooperação política regional e global. Com os nossos parceiros contribuímos no fortalecimento de uma ordem pública internacional que possibilita o desenvolvimento de todos os países em liberdade e com suas próprias responsabilidades.

Além dos programas nacionais específicos promovidos pelas sedes da Fundação Konrad Adenauer na América Latina, existem também programas regionais transnacionais destinados a temas específicos. Um deles é o programa regional de Segurança Energética e Mudança Climática na América Latina com sede em Lima, Peru.

Objetivo do Programa Regional

A globalização da economia está em constante evolução, e, portanto, deve considerar novos e velhos desafios. Atualmente, esses desafios devem propiciar um ambiente de conforto para as pessoas e, ao mesmo tempo, preservar os recursos naturais básicos para as gerações futuras. Esse tema sai à luz com um enfoque particular no contexto do atual fornecimento de energia, o que causa o aumento dos danos ambientais representados nas alterações climáticas.

Segundo o ponto de vista da KAS, as necessidades básicas das pessoas são afetadas por causa da interação entre a política energética, a política climática e a política ambiental, assim mesmo o modelo econômico do país é prejudicado; requisitos indispensáveis para alcançar a dignidade humana, os direitos humanos e a justiça social. Para a KAS "a segurança energética e as alterações climáticas" tornaram-se uma peça importante para a estrutura e manutenção de uma ordem social democrática. Neste contexto, a Fundação Konrad Adenauer realiza seu trabalho na América Latina com o seu próprio programa regional para a segurança energética e mudança climática.

O programa regional foi concebido como uma plataforma de aconselhamento e diálogo com o objetivo de promover os processos de tomada de decisão política. Isto é mostrado como um centro de orientação regional, o qual oferecerá o melhor aconselhamento e coordenará as atividades da Fundação neste campo. Desempenhando o papel de agente impulsor e assessor, o objetivo deste projeto é aperfeiçoar o trabalho dos programas locais realizados por KAS na América Latina e potencializar o seu efeito através da conexão regional e da transmissão de conhecimentos técnicos. A sua principal missão consiste em sensibilizar os atores políticos em cada país da América Latina sobre a questão da segurança energética e mudança climática.

Para este fim, organizam-se fóruns de discussão regional, conferências e seminários, em estreita colaboração com os escritórios locais e outros programas regionais da Fundação Konrad Adenauer na América Latina, bem como com organizações associadas nacionais e internacionais. Também se entregam relatórios, publicações especializadas e estudos. Além disso, os políticos relevantes e figuras públicas são convidados para conferências internacionais ou programas informativos na Alemanha.

A Alemanha como agente impulsor

No final de 2010, a Alemanha decidiu converter completamente o seu abastecimento de energia em energia renovável para o ano 2050. Com a "transição energética" a Alemanha diminuirá drasticamente o seu efeito estufa e reduzirá sua dependência das importações de combustíveis fósseis. Para a Alemanha este passo significa uma tarefa primordial para a sociedade toda, tanto a nível político nacional quanto a internacional.

É verdade que a Alemanha pode recorrer a um setor de inovação que durante décadas tem se desenvolvido em tecnologia do meio ambiente, tecnologia de eficiência energética e tecnologia de energia renovável; mas para conseguir a instauração da transição de energia requer também um grau elevado de participação do público, a fim de alcançar uma aceitação perene. Além disso, devem-se criar novas condições econômicas básicas para aproveitar as energias renováveis na Alemanha. Em ambos os campos, a Alemanha, durante os últimos anos como um estado federal, tem conseguido oportunidades de participação democrática e experiência com modelos descentralizados de organização.

Enquanto aos assuntos externos, tais como as negociações realizadas pelas Nações Unidas sobre a mudança climática ou o debate sobre os objetivos europeus de proteção do clima, a Alemanha desenha-se como um ator confiável de políticas ambientais. A transição energética gera cada vez mais a pergunta de até que ponto se pode estabelecer uma política de segurança energética coerente para a Europa, que tenha em conta a competitividade e segurança do abastecimento na Alemanha. Por outro lado, também surgem inumeráveis desafios da política energética na cooperação multilateral e bilateral para o desenvolvimento.

A Alemanha e a América Latina

Para superar com sucesso os desafios nacionais e internacionais sobre a política energética e climática, a Alemanha precisa do apoio de seus sócios internacionais. Neste contexto, a América Latina é uma região especialmente importante para a Alemanha. A Fundação Konrad Adenauer não tem só antecedentes de bom trabalho em equipe desde há muito tempo e de ter desenvolvido uma relação de sócios neste continente, a América Latina é também uma região onde os desafios da segurança energética, em tempos de mudanças climáticas, são mais evidentes.

A região é rica em recursos naturais e tem experiência política e econômica global no uso das energias fósseis e renováveis. Ao mesmo tempo, possui ecossistemas latino-americanos, como o Amazonas, que tem uma função importante de proteção do clima global, que é fundamental para a política climática internacional. Além disso, os efeitos da mudança climática, como alagamentos ou furacões, já se manifestam notavelmente na América Latina. Portanto, esses desastres naturais começam a interagir com a segurança do abastecimento de energia, por exemplo: quando as centrais hidrelétricas, devido aos alagamentos, são fornecidas com pouca água. Ademais, a integração política energética na América Latina não progrediu tanto quanto para contra-arrestar a desigual distribuição dos recursos energéticos na América Latina.

A América Latina, como sócio confiável e tradicional da Europa, oferece no campo da política de segurança da energia e do clima, oportunidades de cooperação únicas, e por esta razão, foi escolhida para realizar este programa regional. Esperamos que os esforços conjuntos das cooperações da América Latina e da Europa sigam se promovendo e chegue-se a novas soluções para os futuros desafios globais.

Equipo EKLA-KAS

A equipe EKLA-KAS